O caso Ellen West

Ludwig Binswanger

 

No presente relatório, resumimos tudo o que sabemos a respeito do ser humano ao qual demos o nome de Ellen West, tomando como base documentos e testemunhos autobiográficos e biográficos dignos de crédito. Este saber é de natureza puramente histórica e, por essa razão, designamos histórico de vida (interior e exterior) dessa pessoa a totalidade dos fatos ou dos dados que estão em sua base. Em função do histórico de vida, o nome próprio sai de sua função de simples denominação de uma pessoa - como individualidade única, limitada pelo tempo e pelo espaço - e ganha o significado de reputação (fama). O nome Ellen West transforma-se, assim, na representação de uma figura histórica ou icônica e, nesse contexto, torna-se totalmente irrelevante se o nome é verdadeiro, ou fictício. No entanto, mesmo que as informações contidas no histórico de vida sejam seguras e precisas, a avaliação dessa pessoa continuará incerta, oscilante e incompleta. No dia-a-dia, é comum afirmamos que é possível formar um “conceito” aproximado ou uma “imagem” mais ou menos clara de uma pessoa a partir de um relatório ou de uma história que nos é contada; no entanto, esse conceito ou essa imagem sabidamente depende do ponto de vista ou da opinião daquela pessoa ou daquele grupo que a forma. Apenas o amor e a imaginação que dele brota podem elevar-se acima desse ponto de vista em perspectiva; o julgamento - mesmo o julgamento científico, na condição de algo-que-se-tira - continuará, forçosamente, em perspectiva. É tarefa da epistemologia da História estudar os julgamentos pessoais, compará-los, conduzi-los de volta às suas perspectivas básicas e elevá-los ao patamar de uma perspectiva cientificamente segura. No entanto, diante da constatação de que também a perspectiva científica recebe suas diretivas do presente, “a História”, conforme Ranke já afirmava, “é sempre reescrita”.

Leia o artigo na íntegra

 

 

Ludwig Binswanger

(1881 - 1966) Psiquiatra suiço, diretor do Sanatório de Bellevue. Um dos precursores no sentido de pensar a Psiquiatria e a Psicologia a partir do trabalho de Martin Heidegger.

Esse espaço é dedicado à divulgação de textos relevantes no âmbito da Psicologia fenomenológica e hermenêutica.

  • André Duarte
  •  
     
     
  • Arthur Tatossian
  •  
     
     
     
  • Cristine Monteiro Mattar
  •  
     
  • Eugène Minkowski
  •  
     
     
  • Edmund Husserl
  •  
     
  • Françoise Dastur
  •  
     
  • Gaston Bachelard
  •  
     
  • Irene Borges-Duarte
  •  
     
     
  • Ludwig Binswanger
  •  
     
     
     
     
     
  • Marco Antonio Casanova
  •  
     
     
     
     
  • Martin Heidegger
  •  
     
     
     
  • Medard Boss
  •  
     
  • Nelson Coelho Junior
  •  
     
  • Roberto Novaes de Sá
  •  
     
     
  • Róbson Ramos dos Reis
  •  
     
     
  • Wilhelm Dilthey
  •  
     
  • Zeljko Loparic
  •